Deputado Anselmo José Domingos

Metrô de Belo Horizonte dobrará capacidade total

Metrô de Belo Horizonte dobrará capacidade total

Melhorias e implantação de novas linhas do metrô na capital foram os assuntos discutidos em audiência pública, realizada na Assembleia de Minas, no dia 24 de novembro. A reunião foi solicitada pelo deputado Anselmo José Domingos, vice-presidente da Comissão de Transporte, Comunicação e Obras Públicas.

“A melhoria e expansão do metrô de Belo Horizonte é importante para que a cidade tenha um transporte público de melhor qualidade”, relatou o parlamentar.

De acordo com um projeto apresentado pelo deputado federal Diego Andrade em parceria com a Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU), dentro de dois meses, um sistema de câmeras de vídeo será instalado, o que permitirá que os trens dobrem a sua capacidade atual, de quatro para oito vagões. Esta ação aumentará de 210 mil para 420 mil passageiros por dia.

O principal entrave para melhorar as condições e ampliar o metrô da capital é a estrutura da CBTU, que também administra os transportes de quatro capitais do Nordeste: Recife, Natal, Maceió e João Pessoa. A companhia tem sua sede no Rio de Janeiro, porém não é responsável pela administração do metrô local.

Por isso, os deputados defendem a emancipação do metrô da capital, pois somente assim o recurso viria totalmente para a cidade. “A autonomia de gestão tornará viáveis projetos de expansão, que estão parados há muitos anos”, ressaltou o deputado Diego Andrade.

Com a tarifa atual de R$ 1,80, o metrô de Belo Horizonte subsidia os sistemas que a CBTU opera no Nordeste (com passagens a R$ 0,50), e por isso, é praticamente impossível para a empresa ter recursos em caixa para financiar a ampliação das linhas na Capital mineira.

Metrô do Barreiro

O metrô do Barreiro, um sonho antigo dos moradores da região, também foi tratado na audiência. De acordo com o deputado Anselmo, o projeto de construção do ramal recebeu alguns recursos federais, usados em esqueletos de estação, partes de muros e desapropriações. “Porém, os recursos não são suficientes. Hoje existem alguns espaços abertos que servem de abrigo para moradores de rua, usuários de drogas e depósitos de lixo”, declarou.

Em 2004, rememorou o parlamentar, o então ministro das Cidades, Olívio Dutra, anunciou a construção do ramal do Barreiro. “Foi feita uma grande festa, mas ficou só nisso”, lamentou. Ele ficou esperançoso depois de ouvir Diego Andrade. “Ele se colocou à disposição para lutar pelo metrô de BH, com uma estratégia viável”, elogiou.

Atualmente, de acordo com o superintendente regional da CBTU, Miguel Marques, o metrô de BH conta com 19 estações e atinge 28 km de extenção. Ao todo, são 275 viagens por dia, feitas a cada sete minutos em horários de pico. A integração com ônibus é realizada em seis terminais.

Veja mais fotos aqui.